Aviso à População – Aumento do Risco de Incêndio Rural

PorJoão Oliveira

Aviso à População – Aumento do Risco de Incêndio Rural

1. SITUAÇÃO

Situação Meteorológica:

Na sequência da informação meteorológica disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para as próximas 48 horas, salientam-se as condições de severidade meteorológica inerentes à continuação de tempo seco e quente, com intensificação do vento de quadrante leste, teores de humidade relativa muito baixos na generalidade do território e com agravamento significativo do risco de incêndio.

 

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

Aliada ao aumento da severidade meteorológica, existe grande disponibilidade do combustível florestal, resultando em condições favoráveis à ocorrência e propagação rápida de incêndios rurais, sendo necessário assegurar as medidas preventivas abaixo descritas.

 

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) relembra que, de acordo com as disposições legais em vigor e fruto do prolongamento do período crítico até 15 de Outubro, não é permitido (a):

 Realização de queimadas, de fogueiras para recreio ou lazer, ou para confeção de alimentos;
 Utilização de equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos;
 Queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração;
 O lançamento de balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes;
 Fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem;
 A fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

 

A ANPC recorda ainda alguns cuidados a ter, face às condições meteorológicas previstas, na realização de trabalhos agrícolas e florestais, nomeadamente:
Manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras;
Abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação;
Ter cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.

 

Perante este quadro meteorológico, a ANPC elevou o Estado de Alerta Especial (EAE), do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro (SIOPS) para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), de nível LARANJA, para os distritos de Beja, Évora, Faro, Lisboa e Setúbal; e a passagem ao Estado de Alerta Especial (EAE), do SIOPS para o DECIR, de nível VERMELHO para os distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Porto, Portalegre, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu (das 18 horas do dia 1 de outubro até 23h59 do dia 3 de outubro).

 

Desta forma a ANPC recomenda ainda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio florestal, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

Fonte: Autoridade Nacional de Proteção Civil

ANPC – Autoridade

IPMA – Instituto Português do Mar e Atmosfera

EAE – Estado de Alerta Especial

SIOPS – Sistema Integrado de Operações Protecção e Socorro

DECIR – Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais

Sobre o autor

João Oliveira administrator